BEM VINDO!

Este é um espaço criado para que possamos trocar informações sobre:

- Psicanálise;
- Comportamento Humano;
- Patologias Psicoemocionais;
- Sentimentos: que constroem e que destroem;
- Relacionamentos;
enfim, toda abordagem que puder levar informação sobre melhor qualidade de vida
emcional.

Os textos não têm a pretenção de orientar, mas sim de poder oferecer uma alternativa de interpretação.
Sinta-se a vontade para opinar, contestar e discutir. Aqui, o que você pensa, será bem vindo!

Abraço,

Lindalva Moraes Pereira
Psicanalista –
SJCampos

Pesquisar este blog

terça-feira, 15 de setembro de 2009

DEPOIMENTOS



Já há algum tempo, tenho pensado o quanto gostaria de compartilhar com outras pessoas, os casos de sucesso que passaram pelo consultório, que se submeteram a um tratamento psicanalítico sério, com propósitos distintos, mas com o mesmo objetivo: aumentar sua qualidade de vida psicoemocional através da elaboração, aceitação ou dissolução de seus conflitos, de auto conhecimento e de muitas descobertas acerca de seu próprio comportamento.

É bem fato que já pratico isto. Uso os exemplos que conheço para ilustrar uma questão abordada, falo sobre teorias diagnósticas utilizadas para tratar patologias, mas sempre, sem dúvida, protegendo integralmente a identidade dos protagonistas. Isto é de grande valia para quem ouve e sente que não é o primeiro a enfrentar tais problemas, ou que outros encontram solução por pior que pudesse parecer suas realidades. O objetivo é, além de levar informação, também oferecer encorajamento. E sinto que atinjo ambos objetivos muitas vezes.

Agora, com a ajuda de alguns analisandos, que não estão mais em tratamento porque já atingiram seus objetivos, será possível fazer isto de uma maneira muito mais fiel, porque poderia disponibilizar seus testemunhos, através de suas próprias palavras, ocultando sempre suas identidades.

Rogo para que este espaço sirva de encorajamento e crença para quem busca forças para enfrentar seus conflitos, que ele cumpra seu papel da maneira mais sincera e despretensiosa possível.

Agradeço imensamente aos que se propuseram a colaborar com esta idéia, e que compartilharam comigo o desejo de oferecer alento a quem busca amparo.

5 comentários:

Antonia da Silva Picolotto disse...

Venho por meio desta informar sobre meu estado de saúde.
Durante 12 anos sofri de depressão, cheguei no quadro mais grave da doença. Sempre passando por psiquiatras, neurologistas, mas não conseguia nem um resultado positivo e logo parava com o tratamento, pois tomava remédios fortes que me faziam mal.
Quando já estava sem esperança de cura, conheci através de uma amiga uma profissional indicada.
Quando conversei com ela, já me senti bem, ela me passou muita segurança e já me deu força de vontade para fazer o tratamento. Graças ao amor e carinho dela e muita força de vontade minha, venci esta batalha contra a depressão.
Hoje me sinto curada: aconselho as pessoas que passam por esta doença que façam um tratamento, sem preconceito e com dedicação, pois certamente nas mãos de um bom profissional dedicado aos pacientes, a cura virá.
Obrigada Lindalva!
15/09/2009

TBN - São José dos Campos disse...

Tenho observado que ao passar dos anos, um grande número de pessoas vem sofrendo de depressão, e como tenho conseguido por meio da terapia, superar a depressão que me atingiu, gostaria de compartilhar minha experiência, no intuito de ajudar e motivar pessoas que sofrem deste mal a procurar ajuda de um profissional, porque há sim uma grande luz para te guiar no meio da escuridão.
Eu levava uma vida tranqüila, mas inesperadamente comecei a sentir muita tristezaq, angústia, medo, uma vontade de ficar isolada em meu quarto, o qual me dava uma sensão de segurança.
Às vezes, ao sair me vinha logo um medo, tinha taquicardia, parecia que iria morrer, nada fazia eu me sentir bem, a não ser a vontade de voltar para casa e para o meu quarto. Já era Pânico junto com a Depressão.
Fui aconselhada a procurar ajuda na terapia. Foi então, que me submeti a alguns tratamentos, inclusive sob medicação que traziam a sensação de cura e me aliviavam os sintomas, no entanto, com uma melhora considerável em meu quadro, acreditava que estava curada e abandonava o tratamento, posteriormente percebi que era um erro, pois os sintomas voltavam, mas com um agravante, nessas recaídas, eu já me encontava passando por uma crise financeira grave, acreditando que não conseguiria suportar essa crise e muito menos superar o meu psicológico que estava muito abalado, eu me encontarava em cacos, e a solução era morrer.
Minha família insistia que eu buscasse tratamento, mas eu resistia, pois acreditava que nada resolveria o meu dilema.
Um dia, sentada em minha sala, folheando um jornalzinho que havia trazido da igreja, a qual freqüento, um anúncio me tocou, falava sobre a terapia, naquele momento tive a certeza que eu deveria buscar a ajuda que eu necessitava. E assim fiz um juramento: que somente iria parar o tratamento obtivesse alta.
Hoje, posso testemunhar que graças a terapia, sou outra pessoa, com amor próprio, com outros valores, não foi fácil, passo a passo fui galgando para minha cura.
Para aquelas pessoas que estão passando por momentos difíceis na vida, eu compartilho minha experiência, e posso aconselhar que não dê ouvidos a pessoas que dizem: que depressão é falta do que fazer ou falta de Deus, coisas assim... Na realidade é uma doença e precisa ser tratada e o único caminho a buscar é a terapia.
03/09/2009

R.C.D. disse...

Tenho 44 anos, sou casada e tenho 2 filhos. Gostaria de relatar sobre meus traumas psicológicos, que tive durante alguns anos. Quando pequena, meus pais nos reprimiam muito, eu e minhas irmãs. Éramos castigadas com muita violência física, eu e minha irmã mais velha éramos as que mais apanhavam. Eu sempre fui mais decidida e questionadora e isso era um problema para eles, naquela época não se podia questionar.
Com o passar do tempo, fui amadurecendo e com isso vieram os problemas, eu cresci uma pessoa muito crítica, insegura, cheia de medos e auto estima baixa.
Fui ficando uma pessoa rancorosa e não entendia o porque de tudo aquilo. Meu marido me aconselhou à procurar um tratamento psicológico, o primeiro tratamento não funcionou, pois só eu falava, e naquele momento precisava ouvir e entender o que se passava comigo, afinal eu estava atrapalhando a minha vida como esposa e mãe.
Desisti do tratamento e sem esperança fiquei tentando eu mesma uma mudança.
Um dia conversando com um amigo ele me falou da Psicanálise, me interessei e fui atrás de uma profissional que pudesse entender meu problema. Foi aí que comecei o tratamento e acabei gostando, tive muitas melhoras e hoje fico feliz por entender tudo o que aconteceu comigo.
Já obtive alta do tratamento, mas digo sempre que a Psicanálise fez a diferença em minha vida e da minha família.
Quanto aos meus pais, eu os perdoei e hoje os amo e não tenho mágoa.
Se temos a oportunidade de aprender e sermos felizes, por que não correr atrás?

19/10/2009

S.K. disse...

A terapia individual ajudou a enxergar o que realmente me serve e a me desfazer daquilo que eu não preciso, que só ocupava o meu tempo e não me trazia nenhum beneficio, aliás palavra que eu nem sabia o significado. Hoje eu consigo ouvir as pessoas de outro modo e também a ser mais transparente, inclusive comigo mesma

S.K. disse...

A terapia de casal nos mostrou como eramos egoistas em relação ao outro. Haviamos nos esquecido de coisas tão importantes como que o outro também tinha vida e vontade própria, que antes de sermos dois, eramos um e que assim que deveria ter continuado à ser, mesmo depois do casamento. Como diz a Dra. Lindalva " o que é combinado não sai caro".
Manter a chama do casal acesa é uma tarefa muito dificil, ainda mais depois dos filhos e anos de união e a terapia nos ajudou a lembrar que os filhos são importantes, mas que eles são a continuação da nossa vida a dois e que devemos assim, continuar a nos relacionar.
Além de que a comunicação, o respeito mútuo e a transparência no relacionamento é a chave para tudo."