BEM VINDO!

Este é um espaço criado para que possamos trocar informações sobre:

- Psicanálise;
- Comportamento Humano;
- Patologias Psicoemocionais;
- Sentimentos: que constroem e que destroem;
- Relacionamentos;
enfim, toda abordagem que puder levar informação sobre melhor qualidade de vida
emcional.

Os textos não têm a pretenção de orientar, mas sim de poder oferecer uma alternativa de interpretação.
Sinta-se a vontade para opinar, contestar e discutir. Aqui, o que você pensa, será bem vindo!

Abraço,

Lindalva Moraes Pereira
Psicanalista –
SJCampos

Pesquisar este blog

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

TRANSTORNO COMPULSIVO POR COMPRAS (CONSUMISMO)


(ENTREVISTA NO PROGRAMA SABOR DE VIDA - DIA 14/02/2011 - TV APARECIDA)


Quando nos referimos ao consumismo da ordem patológica, trata-se da compulsão por compras, por adquirir produtos, bens, serviços ou qualquer coisa que represente a autonomia do consumo.

Por que uma pessoa desenvolve a necessidade da compulsão por comprar?

A resposta é ampla, mas não é difícil. Um dos eventos que leva ao consumismo é o mesmo que leva ao transtorno (por excesso) alimentar, ou seja, a ausência de prazer ou baixa auto estima. “Presentear-se” é algo que oferece prazer e aumenta, mesmo que ilusoriamente a auto estima.

Outro evento, é a necessidade do exercício do poder, e comprar é poder. Entrar num ambiente de comércio, escolher, pagar e levar, é não só experimentar o poder como a liberdade também, mesmo que de uma forma equivocada e momentânea.

E o terceiro evento, mas não menos importante, é a armadilha das “promoções/ liquidações”. A incrível sensação de estar (ilusória, ilusória e mega ilusória) “se dando bem”, de “ter tirado a sorte grande por encontrar produtos tão providenciais por uma bagatela de dinheiro”. Passa a não importar se o produto é necessário naquele momento, “um dia ele será”; se a roupa é o tamanho correto ou não, a costureira ajusta tudo, mesmo que o custo do conserto saia maior do que o da compra; se o sapato é um número maior, não tem problema, põe um algodão na ponta; e assim vai, tudo justifica a aquisição naquele momento, afinal, trata-se de uma oportunidade imperdível. É assim que o consumista encara uma liquidação.

Mas, depois de uma maratona de compras em incontáveis lojas em liquidações, como explicar tudo em casa, sem sofrer retaliações da família? Nada que o porta-malas do carro não resolva e aos poucos vai se fazendo a transição entre carro e guarda-roupa, aos poucos, em surdina, sem muito alarde. Ou então a casa da amiga que serve de guarda volumes.

Agora não há tema mais atual que as tais compras coletivas pela internet. Uau! Que armadilha perfeita para o consumista cair. Seguindo as mesmas premissas que acabei de explicar, e a sensação de grande oportunidade, compra-se o que sequer tem noção do que seja ao certo, às vezes o cupom de desconto da compra nem mesmo chega a ser emitido, ou seja, o desejo era a execução da compra, não necessariamente usufruir dela. Parece absurdo não é? Mais não é absurdo, é doença, que precisa de tolerância e tratamento.

Também não é incomum encontrar o consumismo impulsionado por recalque, a famigerada inveja. A danada comparação com o vizinho do carro novo, com a amiga elegante, com os amiguinhos dos filhos que usam tal grife, e por aí a fora...

Vai dizer que não conhece absolutamente ninguém com estes sintomas? Pense bem.
Se conhecer, não julgue, não proíba, não coíba, não ridicularize porque nada disso resolve, mas a tolerância e a conscientização que isto representa uma fragilidade psicoemocional, que requer tratamento e tem cura, isto sim pode ajudar.

Se você se encaixa nos sintomas e ainda assim se recusa a procurar ajuda, a cada compulsão, se questione: “o quanto isso é essencial para minha vida neste momento, posso sobreviver sem esta compra por alguns dias, semanas ou meses”? E antes que você mesma se sabote afirmando que jamais encontrará outra oportunidade igual a essa, eu já adianto que encontrará sim, e até melhores; ou então, antes que pense que se você vetar todas as compras corre o risco de passar a andar mal vestida ou fora da moda, se a sua aparência é importante para você, então este risco você não corre, use a sua imaginação ao invés do cartão de crédito, pode lhe dar tanto prazer quanto a compra.


15 comentários:

cartegiane : cabrobo- pe carpeleite@hotmail.com disse...

ok! adorei o comentario mas isso eu to pasando com minha esposa ,e q ela tem o poder de comp´ra mas quem vai pagar no final as contas som eu! e nos estamos separados a uma semana,e eu queria uma solucao ! por favor me ajude!!

Psicanalista/ Psicoterapeuta disse...

Olá Rapaz!
Puxa! Sinto em saber que o problema do consumismo já causou estragos na sua relação com sua esposa. Infelizmente não há muito a fazer a não ser conscientizá-la de que se trata de uma psicopatologia (doença mesmo) e que ela não precisa enfrentar sozinha, mas que para possa obter ajuda, precisa aceitar que o problema existe e é grave. A compulsão o nome mesmo diz, vai além do desejo, mas ceder a ela é alimentar um ciclo vicioso sem fim.
Espero ter podido ajudar! Muito obrigada por ter me confiado a sua questão e desejo lhe sorte na sua empreitada! Só mais uma coisa: não desista antes de esgotar suas possiblidades.
Abraço!

Anônimo disse...

oi, eu estou passando por esse problema.Estou sofrendo muito, sou casada tenho uma filha de nove anos,percebo que ela jatem alguns sintomas do problema,estou procurando ajuda com psiquiatra e remedios, gostaria de saber se algum dia vou sair dessa, vou ser realmente curada com essa medicaçao,e se tem algum macete ou dicas pra se fazer nos momentos de crises compulsivas. obrigada fiquem com Deus.

Anônimo disse...

Olá, tenho uma irmã muito querida que tem esses sintomas, existe terapia de grupo com esse problema que sugerisse essa conscientização para a pessoa se livrar dessa compulsão? Aguardo resposta.
Muito Obrigada,
Regina

Psicanalista/ Psicoterapeuta disse...

Resposta a questão de 26/06:
Já começamos bem, se vc reconhece que é um problema. Sobre a medicação, ela é importante para atenuar os sintomas e a ansiedade, mas não irá chegar até a causa, ou seja, por que vc compra compulsivamente? Qual é a demanda emocional que a compulsão está atendendo? Nisso uma terapia poderia ajudar. Respondendo sua pergunta: tem cura sim, mas não sem esforço. Sobre os "macetes" que vc pede: leia novamente o meu artigo, e mais: não se promova armadilhas que viabilizem ou facilite a sua compulsão; antes de cada compra se questione muito se vc sobrevive sem aquela aquisição; comece estipulando metas de gastos, se vc tem R$ 100,00 para gastar com supérfluo, será isso e pronto, mais nada. E o mais importante: se estiver difícil de fazer isso por vc, faça por sua filhinha, não permita que ela tão nova já se torna refém de uma doença.
Abraço, espero que tenha podido ajudar e desculpe a demora na resposta.

Psicanalista/ Psicoterapeuta disse...

Olá Regina!
O que existe é grupos de auto ajuda, formados por pessoas que sofrem do mesmo problema. Lá é trabalhado principalmente a conscientização do sujeito de que a compulsão por compras é uma patologia e deve ser tratada como tal. As pessoas compartilham suas dificuldades, seus históricos e suas perdas também. Eu não sei de onde vc escreve (cidade), mas certamente deve haver algo assim, porque é mais comum do que se pensa, só não é divulgado, infelizmente.
Desejo boa sorte com sua irmã!
Abraço,

Lindalva.

kátia disse...

Eu tenho uma vida muito triste, pois sou há muitos anos extremamente consumista. Já fiz terapias e de nada adiantou. Graças a este problema me encontro devendo a um agiota,e para completar meu casamento está acabado.Tento me agarrar em Deus para que haja um milagre.Pensei em terapia em grupo, mas na minha cidade não tem(Duque de Caxias-RJ).Me ajude,preciso muito.

Psicanalista/ Psicoterapeuta disse...

Oi Kátia!
Sinto muito por saber que seu transtorno já lhe trouxe conseqüências e a faz sofrer. É preciso conhecer o estado compulsivo para saber o quão solitário é quem sofre dele. Por favor, não desista de buscar ajuda, estou certa que você conseguirá superar seu problema. Em casos crônicos, a Psiquiatria pode ajudar com intervenção medicamentosa para administrar a ansiedade e consequentemente as compras, e paralelo a isso, a terapia é muito importante principalmente para identificar a causa do seu problema, qual a demanda emocional que as compras vêm supostamente atender? O vazio da falta de afeto, sentimento de rejeição (que o poder da compra atenua), ausência de prazer na vida (necessidade de se auto-presentear)? Enfim, há uma razão.
É preocupante quando você cita agiotagem, fim de casamento, estas já são consequências extremas. É preciso fazer algo urgente! Este "poço não possui sub solo", chegou o fim dele, agora é só fazer o caminho de volta para cima...reaja! O sintoma é bastante parecido com o de um adicto, o impulso para comprar é quase incontrolável, mas o prazer é rápido e a culpa imensa. Boa sorte! Se achar que possa ajudá-la em mais alguma coisa, estou a disposição.
Abraços,

Lindalva Moraes.

Anônimo disse...

olá prefiro não dizer meu nome.percebo que estou sofrendo da compulssão por compras e não sei o que fazer.minha compulsão se resume somente no mercado vou e não consigo me controlar compros as vezes coisas que nem são precisos .e depois me arrependo fico triste,me sentindo culpada pelos gastos excessivos principalmente qd chega fim de mês que meu marido vai pagar a conta e esta sempre um absurdo me sinto muito mal pois ele se mata o mês inteiro e as vezes fica tudo no mercado .Me sinto muito mal com isso e não sei o que fazer pra parar

Psicanalista/ Psicoterapeuta disse...

Olá!
Compreendo o que está passando! E me compadeço do seu sofrimento, porque não é simplesmente uma "pessoa exagerada", a compulsão tem razões que aparentemente você desconhece, fica apenas com a necessidade do alívio e do prazer momentâneo que sente, quando se vê comprando... mas depois, vem a culpa e o sentimento de vazio que nada preenche. Não é? Isso é doença e pode ficar sério. Procure ajuda. De pronto a única forma que eu teria para ajudá-la é dizendo que somente o enfrentamento é o caminho. Resista, não sucumba ao seu desejo. Ele na verdade quer ser suprido não por coisas do mercado, mas por emoções. A compulsão por compras vem na necessidade de uma compensação emocional. Pense bem...
Boa Sorte! Espero que fique bem! E obrigada por ter me confiado seu problema!

Lindalva.

Anônimo disse...

Olá! Estou passando por um problema assim com minha mae. Ela é totalmente compulsiva por compras, mudanças de endereço e com isso já conseguiu dilapidar mais da metade do patrimonio da familia. Nao sei o q fazer! O pior é q ela nao reconhece nada e esse jeito de louca e inconsequente dela so me dá vomtade de me afastar... O q posso fazer por ela?

Psicanalista/ Psicoterapeuta disse...

Bem, se afastar não vai ajudar, nem tão quanto resolver, se quer irá preservá-lo porque você pode a qualquer momento ser surpreendido pela inconsequência dela. Portanto, o jeito é persistir na conscientização dela e quando isso é feito de forma coletiva costuma surtir melhor efeito, ou seja, não faça abordagens sozinho, reúna a família para que juntos tenham uma intervenção coletiva, isso costuma ter melhor efeito. Imprima artigos e coloque sob a visão dela, faça alusões discretas, para não ficar em conflito direto, mas que mencionem que isso é doença, um transtorno que o cérebro se condiciona ao prazer como se fosse uma droga mesmo. Não desista, perseverança é a palavra para o seu caso. Além do que, é sua Mãe, né?! Eu lhe garanto que sei o quanto é difícil.
Abraço e obrigada por ter me confiado a sua questão.

Lindalva Moraes.

Anônimo disse...

Boa noite
É incrível como descreve exatamente o que acontece comigo. Compro, compro, escondo as compras ainda embrulhadas e vou desembrulhando aos poucos. Gasto todo o limite do cartão de crédito, cheque especial e pego todos os empréstimos que posso.
Tem uma coisa que funciona na internet, quando estou ansiosa para comprar para me sentir melhor: compro o que quero mas não chego a pagar o boleto mas fico com a sensação boa do momento da compra.

Psicanalista/ Psicoterapeuta disse...

Menina!!
A coisa tá séria hein?! Mas e aí, o que mais você tirou do artigo? Conseguiu refletir a qual a razão principal que te leva a comprar? Geralmente é quando algo te aborrece, ou está com baixa auta estima, ou está faltando fontes de prazer na sua vida, enfim, que há um gatilho não tenha dúvida. A compulsão é necessidade direta de compensação ou do experimento de poder. Então menina, vou te contar uma novidade: poupar dinheiro também é prazeroso e fascinante. Acredite!

Compras Compulsivas disse...

O Instituto de Psiquiatria do HCFMUSP busca pessoas de 21 a 60 anos, que apresentam compulsão/descontrole por compras (oniomania), para participar de estudo. Para os selecionados, serão oferecidos tratamentos médico, medicamentoso e psicoterápico.

Oniomania ou Compras Compulsivas é caracterizado por:

* Preocupação excessiva e perda de controle sobre o ato de comprar.
* Aumento progressivo do volume de compras.
* Tentativas frustradas de reduzir ou controlar as compras.
* Comprar para lidar com a angústia, ou outra emoção negativa.
* Mentiras para encobrir o descontrole com compras.
* Prejuízos nos âmbitos social, profissional e familiar.
* Problemas financeiros causados por compras.

Os interessados deverão entrar em contato pelo telefone do Pro-AMITI (11) 2661-7805 ou enviar um e-mail com telefone de contato para compradorescompulsivos.hc@gmail.com

Site:www.amiti.com.br
https://www.facebook.com/hospitaldasclinicasdafmusp/photos/a.1398287123773264.1073741828.1391979501070693/1587938034808171/?type=1&theater