BEM VINDO!

Este é um espaço criado para que possamos trocar informações sobre:

- Psicanálise;
- Comportamento Humano;
- Patologias Psicoemocionais;
- Sentimentos: que constroem e que destroem;
- Relacionamentos;
enfim, toda abordagem que puder levar informação sobre melhor qualidade de vida
emcional.

Os textos não têm a pretenção de orientar, mas sim de poder oferecer uma alternativa de interpretação.
Sinta-se a vontade para opinar, contestar e discutir. Aqui, o que você pensa, será bem vindo!

Abraço,

Lindalva Moraes Pereira
Psicanalista –
SJCampos

Pesquisar este blog

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

TRANSCRIÇÃO ENTREVISTA: "INSEGURANÇA"

1º BLOCO
O QUE É A INSEGURANÇA?
A insegurança é a falta de certeza, a ausência da conduta certeira, instabilidade em decidir e conduzir questões e reações; pode se dividir em razões de fundo emocional e em razões de ordem real.

No primeiro caso, normalmente está vinculado a “âncora” que cada um estabelece para se sentir em defesa/ protegido. É complexo para explicar com exemplo, mas a segurança de cada um deve vir de dentro para fora e não o contrário, a fonte deve estar em você e não em outra pessoa, ou em outro fator (como dinheiro por exemplo).

Outra determinante é a baixa autoestima, a pessoa que se auto avalia insuficiente ou inadequada diante do mundo, consequentemente sofrerá de insegurança.

Mais um exemplo interessante é observarmos um perfil de comportamento tirano e opressivo, que na verdade esconde uma profunda insegurança, que precisa deter o controle absoluto porque só assim se sentirá seguro. Tem aos montes por aí..., aposto que já lembrou de alguém não é?

NO MOMENTO PRESENTE, TODOS NÓS ESTAMOS “SEGURANDO” MUITAS COISAS E POR ISSO NOS TORNAMOS INSEGUROS?
Perguntinha complexa essa... mas vamos lá: acho que cada vez mais as pessoas estão se vestindo de estereótipos e personagens que atendam a demanda do momento, que agrade e gere maior índice de aceitação, no entanto, nos perdemos entre os papéis, muitas vezes substituindo a própria essência para assumir um roteiro padrão social, o que num dado momento contribuirá para um quadro instável de emoções e comportamentos.

NOSSA INSEGURANÇA É NOSSO APEGO?
Vamos ver se entendi: a natureza humana foi se transformando e se tornando cada vez mais a espécie dos vínculos e das relações de dependência, de todo tipo: emocional, financeira, egocêntrica, afetiva, etc, portanto, tantos apegos, certamente nos transformam em cativos também.

A INSEGURANÇA PODE SER O DESEJO POSSESSIVO DIANTE DA VIDA?
Certamente, conforme comentei na resposta da primeira pergunta.

2º BLOCO:

PESSOAS CIUMENTAS SÃO MAIS INSEGURAS?
A relação entre ciúmes e insegurança é grande, tanto quanto a baixa autoestima, ambas podem resultar em ciúmes.

QUANTO MAIS APEGADOS SOMOS, MAIS MEDO DE PERDER ALGUMA COISA NO FUTURO?
Depende: se o apego é tal que nos remete ao medo da perda, sim. Mas uma relação de apego consciente não precisa ser necessariamente nociva.

NOSSO GRANDE E ILUSÓRIO SONHO É ADIVINHAR E CONTROLAR O AMANHÃ?
Talvez seja. Tem muita gente remoendo passado ou preocupado com o futuro, enquanto o presente está a deriva. Eis o grande equívoco dos ressentidos e dos inseguros.

INSEGURANÇA TEM A VER COM ANSIEDADE? É UM PROBLEMA QUE P0ODE LEVAR A DEPRESSÃO?
Sim para ambas perguntas. Na classificação das psicopatologias quase tudo nasce como “transtorno de ansiedade...” de alguma coisa. Atualmente vivemos ansiosos, na eminência de algo que nem sabemos o que possa ser, isto é a contramão do equilíbrio emocional. E sobre a depressão, é mais fácil mencionar o que não causa depressão do que a causa, com o ritmo e modelo de vida que estamos levando, nos tornamos suscetíveis a ela.

3º BLOCO:

EXISTE UMA ÁREA ONDE A INSEGURANÇA É MAIOR? NOS RELACIONAMENTOS POR EXEMPLO?
Sim, eu acredito nisso. E em seguida vem o setor financeiro.

INSEGURÂNCIA É CARÊNCIA? PODEMOS COMPENSAR A INSEGURANÇA EM OUTRAS ÁREAS DE NOSSAS VIDAS?
Eu não diria que insegurança é necessariamente carência, pode ser inclusive isso, no entanto, há outros fatores, a carência está vinculada a baixa autoestima, solidão, neurose obsessiva, e por aí vai. Quanto a segunda pergunta, isso normalmente acontece, se algum setor da vida não nos favorece com a segurança, sentimos necessidade de compensá-la em outro setor.

4º BLOCO:

MAIS DIFÍCIL DO QUE APRENDER A CONVIVER COM A SOLIDÃO, É DESCOBRIR COMO LIDAR COM A INSEGURANÇA DENTRO DE UM RELACIONAMENTO?
Se não aprendemos a lidar com a própria insegurança, tendemos a transferir ao outro esta responsabilidade, ou ainda pior, o relacionamento pode virar um castigo, pura neurose.

EXISTEM VÁRIAS SITUAÇÕES NAS QUAIS A PESSOA SE SENTE EXTREMAMENTE INSEGURANÇA, POR EXEMPLO, QUANDO UMA GAROTA ROMPE UM RELACIONAMENTO?
Não vou me apegar ao exemplo, mas vou buscar responder a pergunta. É claro que nos sentimos mais inseguros dependendo da circunstância, é utópica a idéia de segurança absoluta o tempo todo, seria até chato. A questão é como administrar e superar a condição que nos promove a insegurança.

3 comentários:

Lec@ disse...

Olá
Adorei o blog, e devo admitir que em matéria de insegurança eu venho me superando há muito tempo. Primeiro era com a aparência(sou "fofinha"), depois com a minha carreira, ultimamente tenho insegurança até sobre eu mesma. Sobre quem eu realmente sou ou o que eu realmente quero. Afe, penso tanto que já estou cansada. Faço tratamentos para transtorno de ansiedade, mas as vezes tenho a sensação de que nunca ficarei livre da ansiedade e da baixa auto estima e da insegurança.

Um abraço

Psicanalista/ Psicoterapeuta disse...

Oi Menina!
Obrigada pelo seu comentário! Fico feliz que tenha lido o artigo.
Mais que misselânia né?! Insegurança está intimimamente ligada a ansiedade, mas não é a principal causa, mas não saber quem é vc... isso sim é uma forte razão. Se o seu tratamento é medicamentoso, ajudaria muito fazer também uma terapia, principalmente pra responder essas suas perguntas sobre si mesma. Essas são perguntas complexas e talvez nunca cheguemos a uma resposta real, mas precisamos nos aproximar dela, ter ao menos um rascunho de quem é, e o segundo passo é se sentir a vontade com a resposta, com afinidade e prazer em ser quem é, e o que não gostar elaborar uma proposta de mudança e ser fiel a ela. Garanto que com isso muito da sua insegurança irá embora.
Abraço, volte sempre, será bem vinda!

Lindalva.

Anônimo disse...

Olá, pois é, a insegurança me persegue em relacionamentos.
Vivi um primeiro namoro muito conturbado e hoje, em um outro relacionamento, acabo transferindo todos os meus medos e experiência ruins do passado. Não consigo separar as coisas e entender que as pessoas não são iguais.
Sofro muito e as vezes deixo de viver minha própria vida com medo de que tudo dê errado!