BEM VINDO!

Este é um espaço criado para que possamos trocar informações sobre:

- Psicanálise;
- Comportamento Humano;
- Patologias Psicoemocionais;
- Sentimentos: que constroem e que destroem;
- Relacionamentos;
enfim, toda abordagem que puder levar informação sobre melhor qualidade de vida
emcional.

Os textos não têm a pretenção de orientar, mas sim de poder oferecer uma alternativa de interpretação.
Sinta-se a vontade para opinar, contestar e discutir. Aqui, o que você pensa, será bem vindo!

Abraço,

Lindalva Moraes Pereira
Psicanalista –
SJCampos

Pesquisar este blog

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

SAUDADE


Eu queria muito conseguir escrever sobre a saudade, mas me mantendo dentro do ponto de vista analítico e não filosófico. Vou tentar, sem garantias de conseguir.

Eu notei que o sentimento da falta que promove a saudade, pode vir acompanhado de um punhado de outros sentimentos: como a culpa de ter contribuído para a saudade, e aí ela parece doer mais; como o sentimento de injustiça e nesse caso a saudade ganha a companhia do vitimismo; o abandono que traz a saudade misturada com a raiva; e assim vai...; alguns eu vi com maior frequência, outros mais camuflados.

A saudade pode ser medida em tempo, e quando é mensurada assim, vai ter dia que vai parecer maior, terá dia que nem tanto; medida por momentos vividos, e aí vem a nostalgia do que não volta; e também pode ser alimentada por projeções do reencontro, de possibilidades, de transformar a saudade em puro bem querer de novo.

Em todos os casos que eu vi e vivi, a forma como se relacionar com ela, a saudade, é sempre uma opção, que pode ser grata ou ingrata, e é você quem vai escolher; que mesmo sendo infindável pode ocupar um lugarzinho de aconchego dentro das emoções ou se transformar num punhal serrado e fixado que volta e meia vai girar e fazer sangrar...

Put´s! Pra quem queria fugir da abordagem Filosófica (que não é minha competência), acho que caí na abordagem piegas, brega e nada analítica... acho que fui muito ambiciosa...

Mais é que eu não quero mais falar só de doença, psicopatologia, blah, blah, blah...

Eu trato sentimentos, eu lido com emoções o tempo todo, por que não posso falar sobre elas de vez em quando? Acho que foi isso...

Um comentário:

Rosana disse...

Lindalva nem acho q há opção em se tratando de saudade...nem forma,nem escolha. A saudade é Invasiva.Ela chega e entra sem pedir permissão. Só resta,senti-la, até que se exaura e ela se despede quando todo o sentimento se sente "satisfeito" pelo menos por algum tempo ou quem sabe por quanto tempo. Saudade é meio igual fome...precisa ser alimentada pra ficar em paz ...acha não ? Pode doer mas sempre " conforta" porque em algum lugar do peito depois, ela se ajeita e fica ali quietinha ..feito companhia...não é mesmo ? Abraços.