BEM VINDO!

Este é um espaço criado para que possamos trocar informações sobre:

- Psicanálise;
- Comportamento Humano;
- Patologias Psicoemocionais;
- Sentimentos: que constroem e que destroem;
- Relacionamentos;
enfim, toda abordagem que puder levar informação sobre melhor qualidade de vida
emcional.

Os textos não têm a pretenção de orientar, mas sim de poder oferecer uma alternativa de interpretação.
Sinta-se a vontade para opinar, contestar e discutir. Aqui, o que você pensa, será bem vindo!

Abraço,

Lindalva Moraes Pereira
Psicanalista –
SJCampos

Pesquisar este blog

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

TOC Transtorno Obsessivo Compulsivo

Resultado de imagem para TOC imagem

Uma pessoa muito especial, expressou algumas dúvidas sobre TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo) e eu resolvi escrever um pouco sobre isso. Acho que não há nada que eu já tenha escrito ou se há deve fazer tempo, já tem muita literatura sobre o assunto, mas às vezes o jeito que alguém escreve ou o momento que você lê, muda ou contribui para um entendimento diferente. Então vale a pena tentar...

Vamos começar pela definição:
- Transtorno: algo que não pode ser mais tratado como característica de comportamento, porque está trazendo certo prejuízo ou sofrimento;
- Obsessivo: não opcional, pensamento invasores, comportamentos involuntários não controláveis;
- Compulsivo: que se repete ou precisa se repetir, novamente inerente á vontade do sujeito.

Pois bem, juntando isso tudo significa que a pessoa que desenvolveu o TOC, possui uma mania ou um conjunto delas, que se sobrepõe a sua vontade e ela não tem mais controle sobre isso. O que leva à consequências e sofrimento. Toda psicopatologia é medida entre leve, moderada e grave, eu estou definindo a que está entre moderada e grave.

A mania vem da ordem da neurose, ou seja, todos nós temos, todos possuem "determinadas manias", porque isso define inclusive características da personalidade do sujeito. No entanto, estas manias não podem se sobrepor a sua própria vontade, ou seja, ela não pode por a pessoa num cativeiro de obediência quase ritualística. 

Normalmente o TOC nasce como um mecanismo de defesa, e isso dificulta que o inconsciente se dê conta quando está virando patológico.

Agora vamos falar um pouco de estatística para termos uma ideia populacional do TOC, porque quem sofre deste transtorno tende a acreditar que faz parte de um universo muito particular, por isso costuma se envergonhar e não compartilhar muito seus sintomas, justamente por se sentir muito ímpar em sua condição. Os números são:

- população mundial: de 1% à 2% no decorrer da vida já desenvolveu ou convive com o TOC;
- especificamente nos EUA: 1 para cada 50 habitantes, sofre de TOC (entre moderado ou grave).

Existe um escalonamento dos TOC´s mais comuns:

1º Limpeza, doença por contaminação e também organização metódica;
2º Dúvida, necessidade de verificação em sequência ou recontagem;
3º Pensamentos libidinosos, obscenos sem controle (e a ansiedade é aumentada pela auto-condenação). Este tem mais a ver com a Síndrome de Tourette, que lá frente eu explico melhor);
4º Meticulosidade com tudo, simetria, ordenação, etc;
5º Colecionismo (hábito de acumular coisas, normalmente que não obedecem a nenhum gênero, tido como: acumuladores).

Alguns famosos: 
- Charles Darwin: colecionismo;
- Michael Jackson: limpeza/ contaminação;
- David Beckham: limpeza e perfeccionismo;
- Jô Soares : os quadros precisam estar levemente fora do ângulo para a direita.

Se sentiram um pouco melhores? Pois é. Tem cura, tem tratamento e até medicação específica para tratar os sintomas. No entanto, o ideal de cura é mesmo com terapia descobrir porque tal mecanismo de defesa se formou?

É comum os sintomas aparecem ainda na infância e irem evoluindo de forma quase inofensiva, ou estar associado a algum evento estressante importante e acaba crescendo de forma abrupta.

Existem cientistas que defendem que assim como na Síndrome de Tourette, o TOC também contém fatores biológicos para acontecer, como alguma deficiência cromossômica, ou epilepsia no lobo temporal, enfim, ainda não se evoluiu muito nestas conjecturas.

O TOC em seu estado grave pode trazer consequências (manifestações) físicas:
- Dermatite: doenças na pele, manchas, coceiras ou vermelhidão;
- Alopecia: queda de cabelo ou doenças relacionadas;
- Onicopatia: doenças nas unhas;
- Gengivite.

Estas são as mais comuns.

Síndrome de La Tourette, que nada tem a ver com TOC, e por isso mesmo é preciso saber o que é, para não permitir que confundam o diagnóstico. São tiques múltiplos, motores ou vocais (classificado como Distúrbio Neuropsiquiátrico). 
- 80%: piscar os olhos incessantemente, tossir sem causa física, limpar a garganta;
- 20%: coprolalia = pronunciar palavras desconexas involuntariamente no meio de um diálogo que não condiz; copro praxia = palavrões, insultos e também repetição de sons e palavras. 

Infelizmente, na maioria dos casos a Síndrome de Tourette não tem cura, o tratamento é feito a base de antipsicótico e terapia de reversão de hábito. Como há um comprometimento neurológico, então fica mais difícil pensar em cura.

Percebem a grande diferença entre TOC e Tourette?

O TOC tem tratamento, tem cura, e na maioria das vezes a terapia resolve, mas já de cara vou dizendo, que num dado momento, o enfrentamento ao sintoma será necessário, ou seja, desafiar a necessidade que propaga seu TOC será imprescindível para a sua cura.

Ok? Espero ter ajudado só um pouquinho...


Um comentário:

Rosana disse...

Hum...enfrentamento...desafio...essa vida é mesmo complicada ...não tem nada de fácil...clareza então...so com lanterna e pilha nova...obrigada Lindalva pela atenção e pelo esclarecimento...vou providenciar .